Ano “Família Amoris Laetitia” começa hoje

Hoje, 19 de março de 2021, a Igreja comemora 5 anos da publicação da exortação apostólica Amoris Laetitia sobre a beleza e a alegria do amor familiar.
Neste mesmo dia, o Papa Francisco inaugura o Ano “Família Amoris Laetitia”, que terminará em 26 de junho de 2022, por ocasião do X Encontro Mundial das Famílias em Roma com o Santo Padre.

O Ano “Família Amoris Laetitia” é uma iniciativa do Papa Francisco, que pretende chegar a todas as famílias do mundo por meio de várias propostas de caráter espiritual, pastoral e cultural, a serem realizadas nas paróquias, dioceses, universidades, no contexto dos movimentos eclesiais e das associações familiares.

O objetivo é oferecer à Igreja oportunidades de reflexão e estudo para viver concretamente a riqueza da exortação apostólica Amoris Laetitia.

A experiência da pandemia pôs em evidência o papel central da família como Igreja doméstica e a importância dos laços comunitários entre as famílias, que fazem da Igreja uma autêntica “família de famílias” (AL 87).

Esta merece um ano de celebrações, para que seja colocada no centro da solicitude pastoral e da atenção de cada realidade pastoral e eclesial.

Exortação apostólica “Amoris Laetitia”

Os objetivos

  1. Difundir o conteúdo da exortação apostólica “Amoris Laetitia”, para fazer as pessoas experimentarem “que o Evangelho da família é alegria que enche o coração e a vida inteira” (AL 200). Uma família que descobre e experimenta a alegria de ter um dom e de ser um dom para a Igreja e para a sociedade, «pode tornar-se uma luz na escuridão do mundo» (AL 66). E o mundo hoje precisa dessa luz!
  2. Anunciar que o sacramento do matrimônio é uma dádiva e tem em si um poder transformador do amor humano. Para isso é necessário que os pastores e as famílias caminhem juntos na corresponsabilidade e complementaridade pastoral, entre as diferentes vocações na Igreja (cf. AL 203). Anunciar que o sacramento do matrimônio é uma dádiva e tem em si um poder transformador do amor humano. Para isso é necessário que os pastores e as famílias caminhem juntos na corresponsabilidade e complementaridade pastoral, entre as diferentes vocações na Igreja (cf. AL 203).
  3. Tornar as famílias protagonistas da pastoral familiar. Para tanto, é necessário “um esforço evangelizador e catequético dirigido à família” (AL 200), pois uma família discípula torna-se também família missionária.
  4. Conscientizar os jovens sobre a importância da formação à verdade do amor e ao dom de si, com iniciativas a eles dedicadas.
  5. Alargar o olhar e a ação da pastoral familiar para que se torne transversal, de modo a incluir os cônjuges, os filhos, os jovens, os idosos e as situações de fragilidade familiar.
Para Si:  Oração de Nossa Senhora Aparecida para proteção e socorro

Os destinatários

Conferências episcopais
Dioceses
Paróquias
Movimentos eclesiais
Associações familiares
mas sobretudo as famílias de todo o mundo
O convite, dirigido a todas as comunidades, é de participar e tornar-se protagonistas de outras propostas a serem implementadas no nível da Igreja local (diocese, paróquias, comunidades eclesiais).


Partilhe:
32Shares

Não são permitidos comentários

Navigate
32Shares