Papa Francisco diz: “Não importa que sejas gay. Deus fez-te assim e ama-te”

Juan Carlos Cruz sofreu de abusos sexuais e foi acusado de ser mentiroso por alguns dos principais bispos chilenos. O homem passou duas semanas com o Papa Francisco e numa entrevista ao jornal “El País” partilhou os momentos passados com o chefe máximo da Igreja católica.

Juan Carlos, não importa que sejas gay. Deus fez-te assim e ama-te desta forma. O Papa ama-te assim e tu tens que ser feliz do jeito que és“, terá dito Francisco ao chileno, numa das posições mais fortes do máximo representante da Igreja católica sobre a homossexualidade.

Agora com 87 anos, Fernando Karadima, o padre que violou Juan Carlos, foi considerado culpado pelo Vaticano, em 2011. A posição do Papa sobre o caso nunca foi tornada pública até à entrevista de Juan Carlos, esta segunda-feira.

Greg Burke, porta-voz do Vaticano, não confirmou aos jornalistas se a entrevista concedida pelo chileno ao jornal espanhol reflecte na integra as palavras de Francisco.

No entanto, esta não é a primeira vez que o Papa demonstra abertura em relação à homossexualidade, apesar de a Igreja Católica considerar como pecado as relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo.

Já em 2013, quando questionado sobre o alegado caso de “lobby gay” no interior do Vaticano, Francisco foi claro: “Quem sou eu para julgar?

Bispos chilenos apresentaram renúncia ao Papa

Um total de 34 bispos do Chile foram convocados de 15 a 17 de maio para se reunir com o Papa Francisco depois de uma série de erros e omissões na gestão de casos de abuso, especialmente em relação ao caso de Juan Barros, acusado de encobrir o padre Fernando Karadima.

Juan Barros, nomeado bispo em março de 2015 pelo Papa Francisco, foi acusado no Chile de encobrir os casos de abuso sexual cometidos pelo influente Fernando Karadima quando era pastor da igreja El Bosque, em Santiago.

Todos os bispos chilenos apresentaram a sua renúncia depois de três encontros com o Papa Francisco, no Vaticano.

JN

Deixe um comentário

Navigate